Usuários regulares do Facebook tem mais chances de cair em ataques de Phishing

Screen Shot 2014-11-17 at 1.26.27 PM

 

 

Pesquisadores em SUNY Buffalo descobriram que usuários regulares do Facebook – aqueles que acessam o site com mais frequência  – estavam mais suscetíveis a ataques de phishing. Como eles descobriram isso? Perguntando aos usuários sobre seus hábitos e então, criando um amigo falso que pedia a eles informações particulares, incluindo seu número de identidade, CPF e a data de nascimento.

Arun Vishwanath (Professor Associado de Comunicação, Universidade de Buffalo – Universidade Estadual de Nova York) submeteu 150 estudantes universitários a ataques reais de phishing no Facebook. No começo do semestre, os estudantes foram solicitados a participar de uma pesquisa online sobre o uso da tecnologia em geral. No meio dessas perguntas estavam outras sobre seus hábitos de uso no Facebook. Seis semanas após a pesquisa, os participantes foram localizados no Facebook, e para cada estudante foi enviado uma solicitação de amizade de uma conta falsa do Facebook. Duas semanas depois, um pedido de informação foi enviado para eles daquele perfil. Esta comunicação pedia ao participante o número de identificação de estudante, nome de usuário de e-mail e data de nascimento.

Acontece que quanto mais você usava o serviço, mais informação você passava. Nós poderíamos dizer que a informação passada era inofensiva, mas era uma correlação muito interessante. Conforme nós passamos a ceder mais e mais informações a esses serviços, os pesquisadores apontam, nós nos tornamos menos cuidadosos sobre o que nós enviamos para quem.

“Nós precisamos, a seguir, desenvolver intervenções corretivas que foquem tais indivíduos e os ajudem a desenvolver uma melhor conscientização sobre ataques de Phishing. ”, disse Vishwanath. “Isto não apenas os ajudaria, mas também nos protegerá a todos de ataques de phishing, já que o usuário regular do Facebook pode alcançar de 70.000 a 150.000  mil outras pessoas através das redes de contatos dos seus amigos.”

A pesquisa apareceu no Journal of Computer-Mediated Communication e é um esforço para ajudar as pessoas a não cair mais nos golpes de phishing.


Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*